quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Obras milionárias-Jeff Koons


 

O artista conceitual Jeff Koons usou de várias ideias e materiais para construir suas obras. Nessa diversidade estão:

PUPPY - um cachorro formado por flores, medindo 16 metros de altura, construído num jardim de um palácio. Esse trabalho, ele fez em protesto por não ter participado da Documenta de Kassel, em 1992, na Alemanha. Ele comparou a cidade alemã à Disneylândia. Atualmente a "escultura" está no Museu Guggenheim de Bilbao.

BRANCUSI - um coelho feito de plástico espelhado, imitando aço inoxidável policio. Nessa obra, o significado não está reconhecido, está aberto; ele reflete a personalidade do observador; ele se adequa ao ambiente como um camaleão.

SÉRIE DE OBJETOS DE PORCELANA- o artista fazia encomendas, a artesões, de pequenos objetos populares: estátuas religiosas (anjinhos), animais caricaturados (cachorrinhos, ursinhos) e até de alguns ícones populares (Michael Jackson, pantera cor-de-rosa), arranjo de flores -objetos presentes no cotidiano. Assim, ele se apropria de elementos estéticos da cultura de massa (que já possuem uma função), descontextualizando-as.

Colaborações com Lady Gaga - a capa do 3ª álbum de estúdio de Lady Gaga, Art Pop, foi criada pelo artista e divulgada na Times Square a 07/10/2013. Criou também esculturas para um evento da cantora, a Art Rave, suas obras foram expostas no dia 11/11/2013. Tem seu nome citado na música Applause.

As relações que seus trabalhos possuem com o conceito de kitsch é que ele transforma o que é kitsch em obra de arte. Por exemplo: na obra PUPPY ele usa um jardim, que já possui uma função estética de pura decoração, em uma ironia dentro de um contexto específico; o coelho BRANCUSI ele juntou a vontade de emitir do emissor com a vontade de receber do receptor, para transformar o kitsch objeto em arte; as porcelanas põem em questão: obra de arte ou objeto de cultura de massa?

A obra “balloon dog (orange)” foi vendida por 58,4 milhões de dólares, cerca de 135,6 milhões de reais, em um leilão na cidade de Nova York.

 

 


sábado, 18 de janeiro de 2014

Radiação letal

Em1977 , cientistas britânicos detectaram pela primeira vez a existência do buraco na camada de ozônio sobre a Antártica. Desde então, têm se acumulado registros de que a camada tem se tornado mais fina em várias partes do mundo ,principalmente nas regiões mais próximas do Pólo Sul e recentemente do Pólo Norte. Diversas  substâncias químicas acabam destruindo o ozônio quando  reagem com ele. Tais substâncias contribuem também para o aquecimento do planeta ,conhecido como efeito estufa. A lista negra dos produtos danosos à camada de ozônio incluem os óxidos nítricos e nitrosos expelidos pelos exaustores dos veículos e o CO2 produzido pela queima de combustíveis fósseis ,como o carvão e o petróleo. Mas ,em termos de efeitos destrutivos sobre a camada de ozônio ,nada se compara ao grupo de gases chamado clorofluorcarbonos, os CFCs.
Problemas causados pelos raios ultravioleta
Apesar de a camada de ozônio absorver  a maior parte  da radiação ultravioleta, uma pequena porção atinge a superfície da Terra. É essa radiação que acaba provocando o câncer de pele, que mata milhares de pessoas por ano em todo o mundo .A  radiação ultravioleta afeta também o sistema imunológico , minado a resistência humana  a doenças como herpes .Os humanos não são os únicos atingidos pelos raios ultravioleta. Todas as formas de vida ,inclusive   plantas ,podem ser debilitadas. A credita-se que níveis mais altos da radiação podem diminuir a produção agrícola , o que reduziria a oferta de alimentos. A vida marinha também está ameaçada , especialmente o plâncton (plantas e animais microscópicos) que vive na superfície do mar .Esses organismos minúsculos estão na base da cadeia alimentar  marinha e absorvem mais da metade das emissões de dióxido de carbono ( CO2 ) do planeta.
Uma série de fatores  climáticos faz da estratosfera sobre a Antártica uma região especialmente suscetível à destruição do ozônio . Toda primavera ,no Hemisfério Sul , aparece um buraco na camada de ozônio sobre o continente. Os cientistas observaram que o buraco vem crescendo e que seus efeitos vem se tornando mais evidentes .Médicos da região tem relatado uma ocorrência anormal de casos de alergias e problemas de pele e visão . O Hemisfério Norte também é atingido : os Estados Unidos ,a maior parte da Europa , o norte da China e o Japão  já perderam 6% da proteção do ozônio .
 

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Como nasceu o WWW ?

Um físico inglês  chamado Tim Berners- Lee tinha o objetivo de construir um sistema descentralizado de computadores em que todos fossem capazes de acessar informações de qualquer máquina.O protótipo foi demonstrado no natal de 1990,nascendo assim a world wide web.Até chegar ao resultado que temos hoje,de vídeos indiscretos,notícias sobre os famosos bobando nas redes sociais,um número incrível de downloads,imagens e informações compartilhadas na rede sem limites.Em 1991 Berners –Lee disponibilizou para os colegas da comunidade de física de alta energia o browser,um servidor e uma biblioteca básica para que eles criassem softwares.Em 1933,o americano Marc Andreesen e alguns colegas criaram o Mosaic,o pai de todos os browsers,no ano seguinte  Andreesen fundaria a Netscape.E o resto desta história está se desenrolando hoje. Vemos filmes ,ouvimos música ,compramos pelo www, passamos horas e horas na frente do computador,as locadoras de vídeo sucumbiram diante dos DVD’s piratas,ou por conta dos filmes baixados na net.Me lembro de uma época em precisava pedir informação nos correios e nas bancas de jornais para saber sobre os concursos públicos e outros assuntos, hoje em dia existe uma lanhouse  em cada esquina,quase todos tem acesso a internet no seu PC ou no seu celular.Precisamos garimpar esse excesso de informações para podermos absorver o que mais interessa, e poder aproveitar melhor o que está disponível na internet.